UX Writing

Escrevendo experiências 

A palavra como ferramenta de design. 

{

Aproveita que você está aqui e dá

uma lida na matéria que escrevi:

"10 dicas para UX Writers"   😍

}

#1

 

Plataforma Omnichannel


Criar com baixíssimo custo a Content Strategy e o UX Writing para lançar no mercado uma plataforma omnichannel, a Supernova. Os desafios seriam muitos: criar um storytelling para o lançamento, educar o cliente sobre o produto, aumentar a usabilidade da plataforma usando um Design System de UX Writing, criar personas, empathy map, FAQ, mensageria, ouvir a equipe de call center e dar suporte comunicacional para as equipes do comercial e  do marketing. Entre em contato ver o study case completo pelo link Saiba mais.

#2

 

Fintech


A equipe do Neon lançõu um chatbot de atendimento ao cliente e precisava de um guia de redação e um redesign do ponto de vista de UX Writing.  Analisamos todo o chatbot, elencamos pontos relevantes e criamos algumas diretrizes para dar início ao glossário da marca. 

#3

 

Aulas e palestras


Na Belas Artes e na Faculdade Impacta de Tecnolgia Dou aula tanto em UX Design quanto em UX Writing, mas tenho palestrado mais nesta última disciplina. Acredito que porque a perspectiva de que a experiência é construída também por meio da escrita ainda é um conceito novo no Brasil. No 9º meetup de UX Writers  e no IxDA de Belo Horizonte, falei sobre a intersecção entre UX Design e UX Writing e propus um novo conceito: a arquitetura do olhar.  

Temos muito o que construir para alcançarmos a fluidez que só vem quando texto e interface estão interseccionados. E cada palavra conta!

#5

 

Site da Coca-Cola

 

No ano 2000, a Ogilvy ganhou a concorrência que trouxe para a agência na qual eu era gerente de conteúdo, a comunicação digital da Coca-Cola, pela primeira vez fora da McCann. Isso deu início a um processo de curadoria incrível, que propunha levantar todas as músicas famosas que citavam Coca-Cola, filmes que a marca aparecia como parte do roteiro, a história da publidade da Coca-Cola no Brasil e muito mais. 

Fui até a matriz da Coca-Cola no Rio fazer a pesquisa, falamos com músicos como o Tom Zé, entrevistamos pessoas fissuradas pela marca e colecionadores. Realmente um trabalho a fundo sobre a presença da Coca-Cola na vida das pessoas, muito além do produto. Mas teve um probleminha... O site proposto era todo em flash e não performava exceto na conexão T3 que tínhamos na agência. Ops :0 )

#6

 

Sete Zoom


A 7Zoom foi o primeiro bot comercial no Brasil. Como era uma novidade, algumas pessoas achavam que ela era uma pessoa de fato. A Close Up seguiu essa estratégia de apresentá-la como uma fotografa descolada da Vila Madalena (bairro boêmio de São Paulo). 

Além de ajudar a criar a persona, fui responsável por receber os e-mails que a 7Zoom recebia e com isso retroalimentar o bot. Essa experiência inovou a maneira como eu via a ferramenta persona dentro de um projeto e como um storytelling bem contado tem poder de convencimento. 

#4

 

Lançamento do Ford EcoSport


Muito antes do Buzzfeed e dos  testes em redes sociais (esse case é de 2003, o Orkut surgiu em 2004)  propus um teste online com um brinde para o usuário para classificar prospects para o novo Ford EcoSport. Na Wunderman, CRM era a base das ações e a proposta era enriquecer um banco de dados da Ford com dados para fazermos as ações de marketing direto para o lançamento. 

Eu consumia muitas revistas e adorava os testes, mas também achava que ninguém ia responder um teste chato. Então, propus fazer um teste divertido, com as perguntas que precisávamos e outras mais lúdicas. O brinde era wallpaper e papel de parede (sim, acredite) de acordo com o perfil do usuário. Foi uma ação com bastante repercussão e o lançamento do EcoSport foi um sucesso de vendas.